PORTUGUÊS | ENGLISH  | ESPAÑOL
Menu

Contínuo Florestal

Para realizar a modelagem econômica do plantio de nativas, o VERENA vem identificando casos reais de sucesso dentro de quatro tipologias florestais mais favoráveis à atividade.

O Contínuo Florestal demonstra o gradiente das diversas tipologias de uma floresta conforme sua característica de manejo silvicultural, partindo, à esquerda, da tipologia básica de uma floresta nativa primária.

O VERENA definiu como foco quatro tipologias do Contínuo Florestal que podem contribuir para uma nova economia florestal no Brasil. São elas:

Plantio Econômico Biodiverso - Refere-se ao plantio de diferentes espécies nativas, ordenadas segundo um desenho espacial definido em conformidade com as condições ecológicas de cada espécie. O plantio ocorre geralmente em linhas intercaladas por grupo funcional. O manejo do desbaste e a utilização de produtos não-madeireiros possibilitam a geração de receita no curto prazo. É a tipologia com maior potencial para uso em Reserva Legal.

Plantio Econômico Monocultura - Como o próprio nome indica, trata-se do cultivo de uma única espécie nativa, plantada geralmente em linhas e com manejo semelhante ao do eucalipto. Os plantios de Paricá, no Norte do país, seguem esse modelo.

Plantio Misto (Nativas e Exóticas) - Corresponde a um híbrido entre espécies nativas e exóticas, como, por exemplo, o eucalipto. Esse tipo de arranjo favorece a obtenção parcial de receita em curto prazo, devido ao ciclo curto da espécie exótica.

Sistemas Agroflorestais (SAF) - É uma tipologia complexa, que acrescenta culturas agrícolas ao modelo, tornando-o de grande valia para os pequenos produtores, que podem obter receita no curto prazo, por meio de colheitas anuais.